14 fevereiro 2017

19 Setembro 2016

A sala fedia a vômito. Ele culpava Deus por estar ali.

 Essa foi uma situação atípica em que eu não conseguia manter um diálogo, as palavras não saiam direito, mas eu estava ouvindo muito bem. Magro e alto, estava usando chinelo e calça social. Nunca tinha conversado com alguém que acabara de sofrer um infarto. Ele se queixava de dor no peito e acredito que o certo seria fazer uma ressonância ou coisa do tipo,  não deveria estar ali tomando remédinho na veia.

_Você é bonita.. igual a sua mãe. Sorri e Agradeci. ( incrivelmente conseguia sorrir).
_ Tem quantos anos? 17?
_ Daqui a 4 dias faço 21.
_  Puxa...  não parece, você tem jeito de menininha.  Dei um sorriso amarelo e mais uma vez agradeci.

 Ele levou a mão esquerda ao peito, estava sentindo pontada. Perguntei se queria que chamasse alguém, respondeu que não.

_ Sabe por que estou aqui? Ironicamente respondi _ Andou aprontando né?
Ele riu.
_ Caí no mundão e acabei me perdendo fiz muita coisa errada.  Isso é castigo!

_Cair no mundo não quer dizer que você não sabe o caminho de casa. A  questão é querer voltar.
_Mas olha, qual seu nome mesmo? aah lembrei é Nathalia certo? Fui  pastor, tive uma igreja. Quando se é pastor as pessoas ti veem como um super humano.
_ Puxaa! Imagino que deve ser muito complicado.  As pessoas acham que você não pode errar né? No fundo não pode mesmo, dei uma risada. Mas somos tão falhos. Força pra você.
 _É isso mesmo menina.

 Acredito que fui uma boa ouvinte, ele falou das coisas que andou fazendo. E mais uma vez afirmava:  _Estou aqui por consequências

 O remédio com soro acabou. Retiraram a agulha.  Desejou melhoras pra minha mãe. Disse com convicção que tudo daria certo. Retribui a positividade. E ele saiu da sala mancando.

 Dei uma averiguada na  quantidade do remédio-soro que faltava. Olhei as horas no celular 3:05  am.
Sentei colocando meus pés na poltrona ao lado.  O som que saia da sua boca parecia um ruído depois cessou . Cheguei mais perto e vi que minha mãe não estava conseguindo respirar.    


5 comentários:

Luccas disse...

Olá,Nathalia! Tudo bem? Eu li o texto inteiro,e confesso que foi integrante. Concordo com a parte do Pastor,as pessoas acham que só porque eles pregam sobre "Jesus" e o "BEM" eles acham que eles são super - heróis! É um texto único ou, terá continuação? Gostaria de ler uma segunda parte.

Beijos ♡
reckless

Thalita Maia disse...

Amo textos assim <3

Beijos,
www.thalitamaia.com

Wellington Maia disse...

Olá Nathalia tudo bem? Muitas vezes a unica coisa que precisamos é alguém que nos ouça. Mesmo quando não sabemos por onde começar.

Abc.

oiniciodavirada.blogspot.com.br.

HONORATO, Sandro disse...

Boa noite,
Tudo bem?

Gosto de ser uma pessoa assim: ouvinte. Vez ou outra ouvimos um bom conselho, uma boa história para repassar.

Adorei :)
Beijos e se cuida

www.rimasdopreto.com

Natasha Arruda disse...

Nossa que texto lindo, sei bem o que é isso pois sou filha de pastor, as pessoas acham que digamos que Deus é mais severo com que é pastor, e digamos mais brando com quem não é, elas se esquecem que Deus é um só Ele é igual para todos não há variabilidade em seu comportamento.