17 janeiro 2015

Coletânea

2 fragmentos

Gente que tem história pra contar: Na festa da minha cunhada, tinha uma senhora  de 67 anos, mas quem a olhava dizia que  aparentava ter um 50. Na maior espontaneidade ela puxou assunto comigo e minha mãe. Ela comentou a sua juventude, o quanto que era sapeca. Aos 15  anos ela e uma colega atravessaram o bairro, passavam para o outro lado do rio. Só para olhar os Guardas que ficavam fazendo escolta no quartel. Ela passava e voltava repetidas vezes e eles percebiam e riam discretamente. Pensei com os meus botões, quero ser igual a ela quando crescer rs.



Ele acenou pra mim: Antes disso acontecer, eu estava atras dele subindo a escada rolante com muita pressa, ele estava com mais pressa que eu. E Acabou sumindo na multidão do Metrô consolação.  Entrei no vagão correndo antes que as portas me prensassem. Sentei pra retomar o folego, e ele estava em pé a meio metro de mim. Branco, cabelo de fogo, estatura média e com ar de interrogação. Percebi que me olhava de forma inocente, guardei minha garrafinha d'agua e retribui o mesmo. Ele desceu na próxima estação, parecia perdido como um esquizofrênico, o trem demorou a sair e ele ficou parado na plataforma olhando pra mim. O sinal tocou, ele seguiu em direção a escada antes virou e acenou pra mim, como quem diz " Até logo".

6 comentários:

Tati Ferrari disse...

Metrô consolação é quase minha segunda casa já haha mas enfim
Se dessa vez ele deu um sinal de até logo, acho que cabe a você fazer com que seja logo...

Novembro Inconstante

Vulgo Emilie disse...

Esses encontros do acaso são os melhores. Quer dizer, eu sempre me arrependo por não ter puxado papo e nem nada (quem sabe o que poderia rolar “se”....?). Porque depois que a pessoa se vai....sabe lá quando vamos encontrá-la novamente. Talvez ele tivesse gostado de você. Ou de te olhar.

Raquel disse...

Rostos no metro, essas idas e vindas que dariam um livro ou uma bela coletania pra se contar qdo tiver la seus 67 anos rs

Bia Hain disse...

Interessante esses encontros que acontecem em fração de minutos e parecem tornar-se tão significativos.
Um dos meus projetos de vida é tornar-me uma senhora alegre, simpática e com doces histórias para contar. Que a vida nos seja generosa para conseguirmos. Um abraço!

Layanne Eduarda disse...

e um até logo no deixa esperançosa :)
parece aquelas coisas de filmes sabe?

Ariana Coimbra disse...

Há encontros momentâneos que se tornam eternos na nossa memória.
Beijo