05 julho 2012

Eu não sei pedir

"E eu não sei pedir. Meu Deus, eu não sei pedir ajuda. Nunca gostei de depender dos outros. E tem mais: não consigo dizer eu-preciso-de-você-agora. Sei que é simples, mas não sai. Algo me trava, a voz não sai. Tenho um orgulho que não me deixa. Acho que tenho que ser a fortona do pedaço, que consigo me reconstruir, me levantar sem dar a mão para ninguém. Não gosto de admitir nem assumir fraquezas nem de demonstrar a minha própria fragilidade. As pessoas fazem SOS a todo instante. Choram, pedem, imploram, suplicam. Não consigo. Para mim isso é traição. Não consigo chegar para a outra pessoa e falar tô-acabada-tô-precisando-não-vou-conseguir-sozinha. Sinto um terror só de pensar."
                                                                                                                                   Clarissa Corrêa

Pensa num ser humano com menos de 1,60 de altura, mas com um orgulho acima de 2,15 . Prazer essa sou eu! Posso passar a dificuldade que for, somente  em caso extremo eu recorro a alguém. E esse alguém me refiro Papai e mamãe, mesmo sendo eles, me sinto um fardo.  No momento eles irão me ajudar a pagar a Flauta Transversal e as passagens.
   Eu sei que o meu pai queria que eu seguisse uma carreira de gente normal, fazer faculdade e exercer uma profissão em que eu tenha carteira registrada, décimo terceiro, convênio médico e tais. Como eu não toco numa Osesp, tudo isso fica fora de cogitação. E não uma filha que vai prestar conservatório de musica no interior de Sampa, e se ela (eu) passar no teste, irá que ir todos os finais de semana pegar ônibus fretado, ficar com o rabo sentado por 2 horas (até que não é longe *-*)  só pra tocar Flauta, que vidinha de bosta, ein minha filha!
Com meu olhar de desespero, ele me apoia de certa forma, já que eu não sei pedir.

28 comentários:

Flá Costa * disse...

sabe, já fui assim, mas vivia sofrendo mais. sofria pelo sofrimento do momento e por ninguém perceber que eu precisava de ajuda mas ninguém me socorria. mas a verdade é essa: as vezes é necessário que se grite um socorro.

beijoca!

Christian V. Louis disse...

Assumir fraquezas não é fácil, concordo. Eu por vezes prefiro me calar também, afinal, penso que ninguém tenha nada com isto e detesto pessoas com síndrome do coitadinho e que ficam de mimimi por qualquer coisa. Contanto, respeito um desabafo sincero e acredito ser um bom ouvinte, embora péssimo confortador.
Os pais criam expectativas para nossas vidas, é bem verdade, porém, não somos responsáveis por suas expectativas e sim, por nossas vidas. Nossas...

Priscilla Way disse...

Ai,tambem DETESTO assumir fragilidade! Sou até grosseira com as pessoas,mas pedir ajuda,só em ultimo caso. Sou muito orgulhosa :(

HONORATO, Sandro disse...

Nath :)
Cara,os pais sempre fazem planos pra gente como se vivessem nossas vidas,o importante (mesmo que doa) é você ser você mesma e fazer o que gosta.

Beijos e cuide-se

RIMAS DO PRETO

Portifolio das Letras - Juliana Martinelli disse...

Tambem sou meio assim, acho-me inutil por depender deles

@littlepistols
http://portifoliodasletras.blogspot.com.br/

Loh LS disse...

Menina eu não sou assim rs. Se eu tenho um problema eu grito help mesmo. Antes eu corria para tudo quanto é lado...hoje tenho os lados certos!!rs
Bjuss amore meu!!!
avidamudaeutambem.blogspot.com.br

Ludi disse...

é uma merda...
pensa numa pessoa c 1,54 de altura (é,sou nanica ahuahu) e um orgulho do tamanho do universo... sou eu! Ja passei por muuuuuuuuuuuitas poucas e péssimas (tipo qdo sai da casa da minha mae, pq brigavamos mto, e fui morar 'sozinha', tava sem emprego, vivia c 150 por mês, tinha dia q só tinha arroz p comer e mesmo assim nunca pedi nd a ninguém...
Não me orgulho nem um pouco desse orgulho, mas temos q tentar trabalhar essa coisa viu!

Jú Sodi disse...

Sou dessas também, não consigo pedir ajuda nem se eu tiver que carregar um container nas costas... Não sei, não sai, não rola.

Mas ainda bem que seu pai sabe disso e te ajuda, já pensou se ele se fizesse de desentendido?

Carol Oliveira disse...

Eu te entendo mais ou menos, Nathalia. Digamos que meu orgulho não seja 2,15, acho que 1,90 ta bom HAUEHUAEHEAUHU -q Meus pais sempre me apoiaram no que puderam. Mas as vezes tenho medo de meus planos meio malucos (não tão malucos quanto tocar flauta, mas quase lá) saiam pela culatra.

Meu problema é que quero fazer Jornalismo na USP, e mesmo se eu passar, não vou ter grana pra manter o aluguel. E sei que meus pais também não tem esse dinheiro todo... E o pouco que eles tem, estão guardando pra me ajudar. Eu me sinto muito inútil com isso, cara. Mas não tenho culpa se ninguém dá emprego pra adolescente de 16 anos trabalhando meio período nessa cidade, hunf HUAHEUAH q
Sem contar o fato de que jornalismo é uma carreira onde a chance de você ser eternamente pobre e sem emprego é bem grande. Então as vezes penso que eu deveria parar de sair do padrão e ir fazer engenharia (que a federal é numa cidade bem pertinho, então não precisaria me mudar) como todas as pessoas normais da minha cidade.
Mas sabe quando aquilo é seu sonho? Acho que é um pouco parecido com você e sua flauta, rs.

Boa sorte com tudo, Nat. Espero que as coisas deem certo pra você, de verdade o/

Beijo,
muggle-world.blogspot.com

Wanderly Frota disse...

Tão eu.
Somos tão frágeis pra pedir, eu sou, confesso!

del disse...

Orgulho pode ser apontado como um dos meus defeitos :\

PS: Conheço Beirut, sim! E adoro demais a banda! :)

Monnie Lobo disse...

Às vezes é difícil mesmo pedir ajuda. Mas os seus pais são as pessoas que sempre vão ajudar independentemente das circunstâncias :)

AquilesMarchel disse...

vamos sair da zona de lamentação que tal?

mas muito bem posto continua escrevendo bem e traduzindo suas explosoes e pensamentos

Flavio Ribeiro disse...

Olá,
Realmente não é fácil publicar em um blog as próprias dificuldades, no entanto considero uma grande virtude, até mesmo pela dificuldade da carreira que abraçou (linda mas pouco valorizada), pois demonstra coragem!

Contudo, não toda hora como muitos fazem, vale a pena saber que existe alguém que sempre olha por nós e que podemos pedir sua ajuda quando necessário.

Estou aqui por conta da blogagem coletiva! Parabéns, adorei seu espaço.

Abraços Flávio,
--> Blog Telinha Critica <--

Lady LoLo disse...

Pelo menos apoiam de certa forma ^^ Vai viver fazendo o que te faz feliz!

Larie disse...

Ixi, também sou orgulhosa. Odeio pedir ajuda e isso reflete muito na minha vida acadêmica porque não sei tirar dúvidas com meus amigos sem que minha mãe sugira tal coisa. Sempre tento resolver tudo por conta própria, só que chega uma hora que a gente é obrigado a ceder. Fica impossível fazer as coisas sozinhos. O bom disso tudo é que nossos pais sempre vão nos ajudar, por mais besta que eles achem que o orgulho seja.

Você claramente é apaixonada pelo que faz, admiro muito isso!

Beijo :)

Emilie S. disse...

...tem coisas mais chata do que pedir? também sou assim. queria ser auto-suficiente,sabe? me virar sozinha pra tudo. mas,ó,nessas horas temos que engolir o nosso orgulho e pedir (é chato,é ruim,nos deixa mal por dentro? sim,mas,se não tiver outro jeito...).
@blogabs | Blog Emilie Escreve

Jaqueline Guerreiro disse...

De certa forma todo pai é assim, pelo menos ele te apoia, da maneira dele, mais apoia.

http://somecontroversy.blogspot.com.br/

Nicolas disse...

Já fui mais orgulhoso, mas mesmo assim continuo sendo. É uma merda rs
Não é uma vida de bosta, você gosta de tocar a flauta pelo menos.

Marcela Miranda disse...

Realmente é difícil assumir as fraquezas, o orgulho não deixa!
Beijos !

http://itgirlsiempre.blogspot.com.br

Marcy! disse...

Mas fazer o que se gosta não tem preço...
Quisera eu ter coragem e ir para o teatro!

Abraços

http://apenasmarcy.blogspot.com

Bia Hain disse...

Ai, eu também tenho dificuldade em pedir ajuda. Não por ser orgulhosa, mas por não querer incomodar ou não parecer inconveniente. E quando vejo, estou cansada demais...mas é legal quando alguém nos apoia mesmo quando não pedimos por conhecer esse traço de personalidade.Um abraço!

Stella Valim disse...

Também tenho um pouco de dificuldade em pedir a ajuda das pessoas, e isso é horrivel, porque, muitas vezes estou muito mal e quero conseguir ficar bem sem a ajuda de ninguém, mesmo sendo quase impossivel .-.
http://www.senhoritaliberdade.com

Nos Amando... disse...

amiga já fui assim
e no final descobrir
que o orgulho nada nos acrescenta
apenas nos destrói
lindo domingo beijokas

Caccau Oliveira disse...

Boa noite, como estás?
Caramba, é quando vejo blogs assim que me lembro do motivo de ter criado um blog. Ser eu e conhecer o verdadeiro eu de pessoas que assim como você, claramente escrevem com a alma ... com o coração. Parabéns ... de coração.
Sobre o post, já fui assim ... já vivi guardando lá no fundo da minha alma tudo que eu sentia, tudo que me entristecia e me fazia mal. Mas depois de um tempo, percebi que isto só estava me matando um pouquinho a cada dia. Aos poucos mudei meu jeito de ser e garanto que hoje sou mais feliz assim. Demora, claro, mas vale a pena deixar o orgulho escondidinho no fundo da gaveta.
Espero que tenhas uma excelente noite. Mil Beijos ;*

Karla Hack dos Santos disse...

Também tenho esta dificuldade patológica de buscar ajuda...
Mas, algumas vezes é este o caminho.

Belo texto.

;D

Evelyn Dias disse...

Estranho como a pouco eu me sentia assim... Vi aí em cima: "Explosões de pensamentos" e gostei. Sei lá, eu gosto desse jeito seu de ser. E pra não esquecer, seu comentário lá no blog, falou tudo que eu queria dizer, foi até menos impactante. :)
Beijos moça, fica bem!

Natália das Luzes disse...

nath,
eu passei por isso que você está passando quando estudar música passou ser prioridade na minha vida. tenho certeza que em algum momento meus pais pensaram "oh, minha filha vai ser infeliz e pobre", mas ainda bem que nunca falaram. eu acho que é instinto de qualquer pai se preocupar com o futuro, afinal, eles não querem que a gente cometa os mesmo erros, sobra as mesmas coisas, etc. mas isso porque o que eles mais querem é ver você feliz. se você tiver feliz, eles vão estar felizes também. não os trate mal só porque eles não acreditam na sua escolha. depende de você fazer eles quebrarem esse paradigma de que a melhor profissão é engenheiro, advogado ou médico.

você ta indo prestar tatuí? tenho muitos amigos estudando lá! (: bom.. boa sorte seja onde for!