04 janeiro 2013

Segunda Opção

 No ápice das minhas escolhas estou sendo obrigada a ter uma segunda opção. Minha mãe falou de concurso publico, paga bem e trabalha-se pouco. Mas é foda para entrar. Tudo indica que irei iniciar minha faculdade de licenciatura em musica esse ano. Meu ex- professor do ensino médio, me dá muita força, ele é musico "formado" em trombone mas por impaciência não concluiu seu mestrado de 4 anos e sua segunda opção foi fazer história e foi assim que o conheci.

 O engraçado é que todo mundo tem uma segunda opção, aquele cara bonito chamado josé aparentemente inteligente, não tem o mesmo papo entusiástico que Marcos, mas você prefere sair com lucas, um cafajeste do jeitinho que você adora. 

Eu preciso de opções, porem não me vejo fazendo nada além de tocar ou ensinar musica. Já me falaram que meu potencial é muito além de ler notinhas, por que não ser Biomédica? (era o que eu pretendia). Mas não quero ficar dentro de uma sala de paredes brancas, solfejando notas mentalmente enquanto analiso fezes. 

 Sendo sincera não tenho muitas expectativas em relação a esse ano recém saído do forno, simplesmente vou dar continuidade com a minha vida como sempre fiz. Tenho dois desejos que ao meu ver serão decisivos, apesar que estou com uma idade em que não é tarde pra começar e é cedo de mais para desistir.  


15 comentários:

Priscilla Way disse...

Em relação a faculdade,tenho muitas opções..porém,são tão concorridas.. e e infelizmente,sou do tipo que não põe muita fé em enfrentar concorrência (nesses casos,pelo menos..)Cursoo Letras,mas eu também queria medicina (psiquiatria),cinema,jornalismo,ciências sociais,artes cênicas (num levo o menor jeito,mas acho bonito)

Pô,mas é horrivel mesmo ficar assim,né?
Tampem já pensei em concurso,ainda penso,mas é como você disse: é foda pra entrar!

Nati disse...

A opção é se arriscar, tomara que dê certo, mas se não der, temos que voltar e optar de novo, mas agora pela certa. Beijos

Letícia Souza disse...

Que saudade que tava do seu blog! Escolhas são sempre difíceis, ainda mais quando estão acompanhadas de um leque de opções.
Hoje de manhã, estava conversando com meus avô sobre profissões que me dariam dinheiro, apesar de não me deixarem feliz, e profissões que me deixariam feliz mas que não me dariam dinheiro. Ele me respondeu que o certo, seria unir as duas.
Vai ver, para tomar as melhores escolhas devemos ponderar essa questão e no final das contas unir o útil ao agradável.
Boa sorte!

Ju Maria disse...

vc tem q fazer oq gosta!

Bia Hain disse...

hahaha, Adorei a frase final...Nathália, eu não sou a melhor pessoa a opinar sobre seu texto. Todos os meus planos A foram por água abaixo e eu sempre tive que ralar muito para seguir o plano b, c, enfim....acho que faz muito bem em seguir o curso da sua vida, ele com certeza a levará para o caminho certo. Afobação nunca é a melhor saída. Um abraço!

Cristiano disse...

Acho o seguinte... trabalhar eh um porre... se eh um porre qd vc gosta do q faz eh um porre maior ainda q vc nao gosta do q faz...

Logo continua na musica... e ACREDITO eu que tem como ser funcionaria publica na area nao tem nao?

:)

Deby disse...

Como não sou a melhor pessoa para dar conselhos em relação a escolhas, vendo que eu sou bem indecisa e quando escolhi oq fazer no vestibular foi depois de ter passado por teste vocacional e mesmo assim foi aquela coisa "pronto, vai ser essa e se não der certo depois eu vejo o que faço". Por enquanto não me arrependi da minha escolha, então o que digo pra você é pensar bastante, mas em algum momento você vai ter que decidir, e quando chegar esse momento escolha, e faça de tudo pra dar certo, ah e não fique se martirizando pensando em como seria se tivesse escolhido aquele outro caminho.. só dê o melhor de sim para que dê certo no que você escolheu e se não der, sempre dá para começar de novo ;)

Beijo!

Dayane Pereira disse...

Nati, O melhor a se fazer é o que se ama. Viva o que vc ama e o resto se resolve por si só. Imagine vc fazendo algo que não vai amar e vai chegar um dia, não duvide pois ele vai chegar, em que vc irá largar tudo pra fazer o que se ama. E ai vai ter perdido um tempo precioso nessa!
Sortee

Luana disse...

Oi Na!
Olha, nada contra quem faz concurso publico, mas eu estudei tanto que eu acho uma perda de conhecimento adquirido para "trabalhar pouco e ganhar muito"... Ta, eu poderia ganhar bem mais, ter bem mais ferias, mas nada tira a minha satisfação de fazer exatamente o que eu gosto de fazer!
coloquei seu blog no meu "Google Reader", bem mais facil de seguir.

Vinnië Rodrigues disse...

É estamos na mesma, gosto muito de música, mas não tenho com uma primeira opção não sei porque mas não tenho, as pessoas falam deveria ir pra facul estudar música e mi mi mis, mas você j á esta entre pessoas que tem conhecimento na area e toca em vários lugares a facul pode ser um up para você vai abrir um leque de coisas e oportunidades também, e vai fazer oque gosta oque é excelente, néah? Tenha uma boa semana bj

Xisdê disse...

Olá! =D

Não estou passando por isso no momento, pois sempre desejei o curso que faço (Psicologia), estou indo bem e pretendo fazer outras especializações quando terminar a faculdade. Meu medo, como você disse, é do Futuro. Será que conseguirei um emprego?!

Por quê é muito fácil (e cômodo), manter boas notas, fazer coisas por fora, quando mal vivi a prática da coisa. =l

Cada um com seus conflitos, né...

Bjo

Xisdê disse...

Obs.: Adorei a bonequinha da sua foto de perfil! HAHAHAHA! Me lembra quando estou cansada, descabelada, desmotivada... E não sei o quê mais "ada." Rsrs!

Leka disse...

Não sou a melhor pessoa pra falar desse tipo de assunto. Aprendi que dinheiro e status profissional não são tudo na vida como essa sociedade medíocre e capitalista impõe.A única coisa que sei é que larguei a enfermagem pra me dedicar totalmente as artes e artesanato. Enfrentei e até hoje enfrento aqueles olhares do tipo: "Ela é a dona de casa que tem um hobby"...as pessoas não entendem que pra muitos é hobby, mas pra quem vive do negócio é profissão. Não ganho um salário tão alto, mas amo o que faço e sei que ainda posso melhorar e conseguir crescer dentro do que faço. Enfrento muito preconceito, pois imagino que vc sendo musicista entende melhor do que ninguém o quanto as pessoas não valorizam carreiras ligadas a artes...elas acham sem futuro.
Sinceramente, se vc vive da sua música é a ela que vc deve se dedicar...todo mundo dará "pito" na sua vida, mas quem vai ficar lá na sala examinando merda com um tremendo talento guardado dentro de si será vc e não elas.

Os pais querem o nosso bem, querem que tenhamos estabilidade financeira e uma profissão segura, mas a que preço...prefiro correr riscos fazendo o que amo, enfrentar preconceitos, do que ficar presa numa "bolha social" com meu empreguinho perfeito, com todos elogiando a minha grande vida segura e estável quando na verdade o coração e a mente continuam sonhando com o verdadeiro desejo e vocação.

Bem deixa eu parar, pois pra quem disse que não falaria a respeito já falei até demais né!kkkkk!

Arranje uma segunda opção apenas se for para conseguir chegar a primeira! Não se prenda a segunda e nem enterre sua verdadeira vocação! Não deixe que as pessoas te sufoquem...lute pela sua música!

bjs e boa semana!

Vera, a Loira disse...

Espero que corra tudo bem com essa segunda opção.

Por que você faz poema? disse...

Nunca gostei de opções, sempre preferi o acaso, mas nem sempre é possivel.