16 dezembro 2011

Me senti mais humana.

Após sair as pressas de um conservatório de musica á qual fiz uma prova. Aos passos largos e rápidos querendo ou não tive que parar pois o sinal de pedestre estava fechado, olhei em volta impaciente a qualquer custo eu queria atravessar.
  Ao meu lado esquerdo na lateral da pista surgiu uma carroça, um homem negro sem camisa e descalço estava puxando-a com uma força incrivel pois ali havia muito papelão e sucata de peças de automóveis supostamente era de moto. Ele vinha sem pressa nenhuma na frente dos carros, era ele que comandava aquela fila de carros, um motorista impaciente fez uma manobra e passou na frente. 
 O senhor e sua carroça passou devagar na minha frente, e eu continuei o observando, duas folhas de papelão caiu ao chão bem proximo á mim falei _Senhor o papelão caiu no chão. Ele olhou pra atras, parou  a carroça fazendo com que a frente se erguesse. Por que eu estava com medo de pegar o papelão? Será que era vergonha? Mais vergonha do que?
   Agachei-me e peguei uma das folhas, ele primeiro pegou a que estava no chão, depois ergue-se olhou pra mim, me encarando nos olhos sorriu, vi que estava faltando 2 dentes na parte de cima e 1 em baixo. Retribui o sorriso, ele pegou o papelão que estava na minha mão e disse _obrigada moça, ainda com o sorriso estampado no rosto.
 O sinal de pedestre abriu, fui andando me sentido feliz. Sei que isso foi algo simples, nem chega perto do gesto daquelas ONGs que ajudam andarilhos nas madrugadas distribuindo comida e coberto nas noites geladas de sampa.



  Sabe quando você olha para aquela pessoa que está nesse "estado", e pensa _" Ele deve ter uma família igual á mim uma mãe ou pai talvez. Ele poderia ser meu vizinho com um carrão na garagem. Ou eu, poderia ser ele, usando drogas pra esquecer dos problemas e sentir um pouco de prazer temporário, e quem sabe simplesmente um catador de papel á qual ninguém dá o devido valor, pois ele recolhe aquilo que ninguém mais usa.
 Sendo que no final ele tem mais valor do que muitos que andam de terno e gravata, e quem sabe, até com uma bíblia debaixo de braço. 

16 comentários:

Evelyn Dias disse...

E a gente fica com aquele vergonha e não sabe de que, muitas vezes desprezamos que não tem nada a ver.
É certo que erramos sempre, jugando as aparências. Pensamentos bons o seu, fica a dica né?

Beijo!

C disse...

Uau. De facto são esses os gestos que nos fazem sentir que vale a pena vivermos. Lembro-me de uma vez, e até hoje me arrependo profundamente, em que numa estada bem estreita, bems egura até, tinha uma senhora cega. Eu queria muito ajudá-la. Talvez uns 5 segundos de uma ponta a outra só. E acabei não o fazendo. Poderia voltar atrás no tempo e tê-lo feito... Provavelmente alguém o teria feito sem problemas... mas Eu queria ter tido a coragem de o fazer. Portanto, pelo teu acto simples ,as bantante valente, parabéns :)

Ludi disse...

É mto bom a gente se sentir humana lembrando que eles também são gente, que também lutam (e mto), que também tem vida e merecem respeito sim, é bom saber que tem gente que pensa como vc. Trabalhei um tempinho com moradores de rua uma época, cara, n tem coisa mais gostosa de fazer, vc conhece cada história, cada pessoa, cada forma de ver a vida ( e mtos deles são bem alegres viu)... é uma delicia! Recomendo!! Em sampa tem uns lugares legais que fazem isso, fica a dica ahuahauah

bjão, adorei o post de verdade!!!

BIA disse...

Que bonito isto Nathy!!! principalmente quando é espontâneo e vem do coração. Independente da aparência, de classe social devemos fazer o melhor que podemos pelo próximo através de nossos gestos e atitudes sabendo que vivemos numa sociedade hipócrita que valoriza o dinheiro e a aparência muitas vezes adquirida de forma suja e desonesta, são mais sujos do que qualquer coisa e não é porque uma pessoa é humilde que tem menos valor do que as outras, não querendo generalizar mas os políticos estampados nos jornais e sua corrupção podre mostra o quanto são sujos.
Bjs
Bia :)

Camila Sanches e Amanda Sanches disse...

Que lindo, teu relato me lembrou uma coisa que aconteceu esses dias comigo, trabalho na loja do meu pai e lá na frenta passa direto catadores de papelão com a sua carroça, em especial sempre me chamou a atenção um casal de catadores, eles devem ter mais que 50 anos, são bem simples e humildes, enfim ... eu estava dentro da loja e eles passaram, o senhor parou a carroça e esperou lá fora a senhora (mulher dele , acho) ir lá no meu trabalho, ela chegou com uma educação que eu fiquei impressionada, são poucas pessoas que compram na loja com toda a educação dela.

bjs

Tsu disse...

Oi Nathy!
Sobre a Rachel Weiz..olha eu sei que ela fez muitos filmes se não me engano até ganhou um Oscar já. Não lembro de muitos filmes mas ela fez a mocinha do filme A Múmia, Constantine...se não me engano..ando meio avoada ultimamente rs.
bjs

Nath! disse...

Tem post novo no blog,venha conferir http://nathmania.blogspot.com/

Obrigada, beijos

@superfashion_na

*♡* Jane Dos Anjos *☆* disse...

Nossa me emocionei agora, me lembrei de quando catava papelão e latinha na praia e quantas pessoas como vc me ajudou, lembro de uma senhora que em um calor escaldante e eu lá na praia com os pés na areia quente e eu cansada de tanto andar pra pegar as latinhas vazia, ela muito indgnada foi falar com minha mãe, me sentou em uma mesa e me mandou servir um refrigerante e um pastel, o cara do quiosque da praia com o nariz torcido fez o que ela pediu e ela imediatamente pediu pra minha mãe me levar pra casa e me tirar daquele sol escaldante, pois ali não era lugar de criança... chorei muito naquele dia, pois acredite Nathy meus pés eram bolhas puras por conta da areia quente, minha mãe me levou pra casa e eu jamais esqueci daquela senhora, nesse verão, minha mãe não me levou mais a praia pra catar latinha!!

Lindo seu gesto, o que falta são pessoas assim!! Humanizadas. Beiju no seu coração!!

CYWMARA WADISQUY disse...

ahhh AMIGAA gesto mais lindooo...fikei orgulhosa de vc, muitas pessoas só precisam de um sorriso, E NÃO DE SEREM IGNORADOS...

xeroooo lindaaa

cywmara.blogspot.com

Mari Leal disse...

é verdade, *--------*

Cízz disse...

Eu concordo! Achei totalmente legal esse gesto. Apesar de simples, ele disse tudo! Gostei! 0/
Um bom domingo pra ti!
:X

Marcela Miranda disse...

Nossa gostei muito.
São gestos simples como esse que fazem muita diferença nos dias de hoje!
Beijos;*

Nicolas disse...

Adorei o texto. Sério. Eu costumo ser mt frio para gostar desse genero, mas realmente gostei do seu texto.
São coisas nas quais raramente paramos para pensar, e é tão facil ignorar e tão melhor esquecer rápido que eu considero uma grande coragem considerar o pensamento. rs

Priscilla Way disse...

Eu sei como é que é isso.Já ajudei alguem de rua tambem e me senti tão bem.Eu estava voltando da padaria e uma mulher que estava sentada no chão me pediu um pão e eu dei.AAAAAAI,como aquilo me doeu..eu pensei:" poxa,ela nem deve ter o que comer tds os dias.." é por isso que as vzs eu ODEIO esse mundo,odeio o jeito que as coisas são.

Jaqueline Guerreiro disse...

Sempre que posso eu também faço esse tipo de coisa, mesmo sendo um gesto pequeno, vale muito mais do que parece, né?

beijo
http://somecontroversy.blogspot.com/

Portifolio das Letras - Juliana S. disse...

è estranho como uns tem tanto e outros não tem nada :\


http://portifoliodasletras.blogspot.com/